Os desafios das cidades digitais

21/08/2017

Data Original: 21/08/2017

Com a quarta revolução tecnológica, conhecida como Era Digital, em andamento as soluções digitais se fazem, mais do que nunca, presentes na vida cotidiana de toda a população, que já acompanha esse movimento, quando hoje, o número de brasileiros com smartphones e acesso a internet é de 62%. De olho nesta tendência, diversos municípios têm trabalhado para fomentar o empreendedorismo e ações colaborativas, para desenvolver tecnologias para resolver problemas urbanos. É o que destacaram os palestrantes do 2º Congresso Catarinense de Cidades Digitais, evento realizado em junho que abordou soluções de mercado, políticas públicas e linhas de financiamento para as cidades. Sede do evento, Bombinhas vem transformando a forma de atender a população por meio de softwares e infraestruturas de rede. Com 20 mil habitantes, o município teve um acréscimo de caixa R$ 22 milhões em 12 meses apenas com investimentos em sistemas de georreferenciamento.

A Prefeita Ana Paula da Silva destacou melhorias e eficiência na saúde após a informatização da área com diversos sistemas interligados, aumentando em 600% o número de atendimentos, gerando confiança da população. Recentemente, a cidade foi considerada pelo Conselho Federal da Administração a terceira melhor gestão do Brasil e a primeira de Santa Catarina. 

São João da Boa Vista também foi case do evento. A experiência do Portal Programa de Metas São João, iniciativa da Prefeitura Municipal em parceria com Agência de Desenvolvimento para divulgação de informações relacionadas à gestão municipal, tal como andamento de obras, valores investidos, imagens, gráficos, etc. recebeu o Prêmio Projeto Inovador 2017 do congresso. Para utilizar a tecnologia de forma estratégica na gestão pública, o vice-presidente do Centro de Informática e Automação do Estado de Santa Catarina (CIASC), Luiz Antônio da Costa Silva, frisou a importância das Prefeituras embasarem as políticas públicas a partir dos dados gerados. “É um mundo que a gente tem que ter muitos dados, criando cidades que tenham inteligência e possibilidade de interação das pessoas”, observou.  

Pensando nisso, São João trabalha para colocar em prática o Polo de Tecnologia. Uma das vias de desenvolvimento econômico propostas no Plano São João 2050. Também é por meio dele, da atração de investidores e da formação de mão de obra qualificada que a cidade poderá ser provedora de soluções para diversas áreas, entre elas a gestão pública, melhorando os serviços locais e exportando serviços para o mundo. 

Evento em Bombinhas