Notícias

CONVOCAÇÃO DOS MEMBROS DO CONSELHO MUNICIPAL DE URBANISMO DE SÃO JOÃO DA BOA VISTA

  • 09/09/2016
  • 2

CONSELHO MUNICIPAL DE URBANISMO DE SÃO JOÃO DA BOA VISTA

São João da Boa Vista, 09 de setembro de 2.016.

Prezado (a) Conselheiro (a),

Convocamos os membros do Conselho Municipal de Urbanismo São João da Boa Vista, titulares e suplentes, nomeados pela Portaria nº 9.255/2.015 e suas alterações, inclusões e substituições, para a 22ª Reunião Extraordinária/2016, no dia 13 de setembro de 2.016 (terçafeira), às 17h00, na Sede da Associação dos Engenheiros, Arquitetos e Agrônomos de São João da Boa Vista, situada à Rua Hélio Correa Fonseca, 246, Jardim Santa Rita III.

  • Leitura da Ata e documentos
  • Discussão do Anteprojeto de Lei do Plano Diretor e propostas CMU
  • Assuntos diversos

Os membros titulares que por ventura não puderem comparecer à reunião deverão convocar seus suplentes e justificarem sua ausência.

 

Atenciosamente,

Ródion Moreira Presidente do CMU

 

DATA: 13/09 - 17hrs 

LOCAL: Sede da Associação dos Engenheiros, Arquitetos e Agrônomos de São João da Boa Vista

 

 

Leia abaixo o comunicado oficial:

Leia mais

PROGRAMAÇÃO DA SEMANA NACIONAL DE TRÂNSITO

  • 09/09/2016
  • 2

De 18 a 25 de setembro de 2016 SÃO JOÃO DA BOA VISTA

PROGRAMAÇÃO-DA-SEMANA-NACIONAL-DE-TRÂNSITO-2016

Dia 19.09.2016 – (segunda-feira) – 08 horas – Colégio Experimental Integrado

Palestra com alunos do Estabelecimento de Ensino

Palestrante: Corpo de Bombeiros e SAMU

Tema: Prevenção de Acidentes de Trânsito

 

Dia 20.09.2016 – (terça-feira) – 09 horas – EE Cel. Cristiano O. Oliveira

Palestra com alunos do Ensino Médio do Estabelecimento de Ensino

Palestrante: Corpo de Bombeiros e SAMU

Tema: Prevenção de Acidentes de Trânsito

 

Dia 21.09.2016 – (quarta-feira) – 19h30m – Instituto Federal

Palestra com alunos do Ensino Médio do Estabelecimento de Ensino

Palestrante: Corpo de Bombeiros e SAMU

Tema: Prevenção de Acidentes de Trânsito

 

Dia 22.09.2016 – (quinta-feira) – 19H30M – Anfiteatro UNIFEOB

Palestra com os Conselhos Municipais

Palestrante: Geisa Aparecida da Silva Gontijo

Tema: Mobilidade Urbana

 

Dia 25.09.2016 – (domingo) – 08 horas – Av. Dr. Durval Nicolau (Rainha)

Passeio Ciclístico (Pedal/Rotary)

 

(*) Durante a Semana Nacional de Trânsito serão fixadas faixas educativas de trânsito nas principais ruas e avenidas da cidade.

 

Leia mais

Grupo de São João visita Parque Tecnológico de Sorocaba

  • 31/08/2016
  • 2

Alguns integrantes do Grupo de Trabalho formado para estruturação do Polo Tecnológico de São João da Boa Vista, previsto no Plano de Estratégico São João 2050, estiveram na última sexta-feira, 26, em visita ao Parque Tecnológico Alexandre Beldi Netto em Sorocaba. A viagem teve por objetivo conhecer as instalações do Parque, os serviços oferecidos, a entidade gestora e o modelo operacional a fim de trazer aprendizados para a cidade.

O Grupo de São João, formado por membros da Unifae, Instituto Federal, Agência de Desenvolvimento e da Assessoria de Planejamento, Gestão e Desenvolvimento foi recebido pelo Sr. Vidal Mota Junior, Diretor de Operações do Parque Tecnológico, pelo Sr. Mauricio Gomes, Diretor de TI, e pelo Sr. Mario Tanikawa, Diretor da Agência Inova Sorocaba.

A visita técnica foi dividida em duas partes. Na primeira foi apresentado o histórico do Parque, as instalações e os serviços que abriga. E a segunda consistiu em conhecer as instalações do Núcleo Central e de Laboratórios, em que as atividades foram ainda mais detalhadas.

Sobre o Parque

Planejado desde 2006, o Parque foi inaugurado em meados de 2012 e está localizado na nova zona industrial de Sorocaba com uma área total de 1,8 milhões de m². A implantação teve o apoio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação e o modelo adotado reflete no aprendizado por meio de diversas visitas à importantes polos nacionais e internacionais.

A estrutura abrange espaços para laboratórios de universidades e de empresas, incubadoras, espaços colaborativos de trabalho, amplos salões para convenções e salas para empresas se instalarem com completa infraestrutura, a preços mais competitivos do que os praticados pelo mercado.

Existe também a possibilidade de serem concedidos terrenos para empresas se instalarem nas áreas no entorno do Parque, benefício somado à isenção de IPTU e redução de ISS. Outros serviços existentes são o posto do Sebrae, e o Poupatempo da Inovação, que reúne serviços de elaboração de projetos, propriedade intelectual, desenvolvimento de produtos, captação de recursos, apoio jurídico e empreendedorismo.

Os anfitriões apresentaram também a governança do Parque, que é gerido pela empresa pública EMPTS – Empresa Municipal Parque Tecnológico de Sorocaba, responsável pela gestão estratégica e imobiliária. Já a INOVA Sorocaba (Agência de Desenvolvimento e Inovação de Sorocaba) é uma Organização Social responsável por gerir o ambiente de inovação e o programa de incubação de empresas.

 

Leia mais

Turismo em São João: Serra da Paulista em constante expansão

  • 24/08/2016
  • 2

O Turismo em São João da Boa Vista tem tido algumas análises de especialistas no assunto que apostam a Serra da Paulista como um dos principais pontos atrativos para os turistas e também para os sanjoanenses, que muitas vezes não conhecem o produto que precisa ser potencializado a fim de atrair as pessoas.
 
IMG_5520_bA estrada da Serra da Paulista tem 18 km de extensão e faz parte do circuito da Caldeira do Vulcão de Poços de Caldas e do Caminho da Fé. Fica localizada no município de São João e Águas da Prata e oferece atividades como Restaurantes rurais de comida caseira e especializada, Pousadas, Bares e Lanchonetes, Laticínio e as famosas cachoeiras, além da vista panorâmica prestigiada de alguns pontos, principalmente dos mirantes.
 
A Serra é também um grande armazenador de espécies vegetais e animais, muitas delas em extinção, além da quantidade de água presente no local. Por isso a importância da preservação e conservação da área, para que a mesma não seja desmatada e degradada.
 
A “Associação Amigos da Serra da Paulista” foi criada com esse propósito de proteger o meio ambiente, o desenvolvimento natural e turístico da serra. Além de agregar valores e forças e atividades sustentáveis por meio de seus membros. 
 
O turismo rural oferecido atualmente pela Serra é um ramo que vem crescendo no Brasil, uma vez que as pessoas cansadas com a correria dos centros urbanos procuram essas experiências a fim de renovar suas energias e conhecer a cultura interiorana
 
Nas próximas matérias iremos mostrar esses atrativos.
 
9

Leia mais

São João 2050 e Plano Diretor: vamos entender a diferença

  • 23/08/2016
  • 2

São João da Boa Vista discute há mais de um ano sobre o Plano São João 2050 e Plano Diretor. Mas muitas pessoas ainda têm dúvidas sobre as diferenças entre eles, então vamos entender um pouco sobre o assunto.

O “São João 2050” é um plano estratégico de longo prazo para a cidade e reflete o esforço de toda a gestão municipal, servidores públicos, sociedade civil e população, pensando no desenvolvimento da cidade com visão de médio e longo prazo. Trata-se de um documento técnico, composto pelo USP Cidades, que se torna a “espinha dorsal” e conceitual do Plano Diretor. “São João 2050” deve ser entendido como um compêndio de conceitos e propostas em prol de uma cidade que assegure crescimento saudável e oportunidades para seus moradores.Se divide em cinco eixos estratégicos: Mobilidade e Transporte, Desenvolvimento Sustentável, Serviços e Equipamentos Públicos, Espaços Públicos e Segurança e Habitação e Saneamento.

Sendo um plano de longo prazo ele orienta estratégias e ações de investimentos em desenvolvimento urbano, que visa tornar a cidade mais competitiva, atraente e harmônica em termos sociais, urbanísticos e ambientais. Por meio da identificação dos problemas tendenciais é que se constrói o cenário desejado, seguindo metas e objetivos a partir do consenso de todos.

Durante um ano foram realizadas diversas reuniões com representantes da sociedade e também com a população para que fosse desenhado o modelo de cidade que cada um queria. Foi um amplo processo participativo até se chegar no Plano apresentado em maio deste ano no Theatro Municipal.

Já o “Plano Diretor” tem suas funções definidas por Lei Federal no Estatuto das Cidades e consiste na previsão de aplicação de conjuntos de instrumentos cujo objetivo é garantir que as propriedades urbanas cumpram sua função social ou seja, que assegurem o atendimento às necessidades dos cidadãos quanto à qualidade de vida, a justiça social e o desenvolvimento de atividades econômicas. É parte integrante do sistema municipal de planejamento, em conjunto com planos plurianuais, diretrizes orçamentárias e orçamentos anuais que devem obedecer às prioridades estabelecidas.

Os Planos Diretores estabelecem diretrizes gerais de ocupação para as diversas regiões das cidades de acordo com suas características, necessidades e potencialidades, indicando ainda as formas principais de mobilidade. É por meio de instrumentos estabelecidos que se obtêm os meios legais para a aplicação destas diretrizes. Devem ser revistos periodicamente indicando a necessidade de ajustar ou aperfeiçoar os instrumentos disponíveis ou mesmo inserir novos instrumentos. Embora possa definir objetivos, o papel fundamental de um Plano Diretor é definir diretrizes e estabelecer meios para segui-las.

O prazo para o envio das contribuições para o Anteprojeto de Lei do Plano Diretor foi prorrogado para o mês de outubro.A população ainda pode mandar suas sugestões. Após a leitura de todas essas sugestões será realizada uma Conferência e então a previsão é que em novembro o Plano Diretor seja enviado para a Câmara Municipal para que seja votado e então se torne Lei.

 

Siga e conheça a página da Agência de Desenvolvimento

 

Leia mais

Palestra de Elisabete França, áudio completo e apresentação

  • 15/08/2016
  • 2

Na última quinta-feira, dia 11, São João da Boa Vista teve o privilégio de receber a Arquiteta e Urbanista Elisabete França. No Auditório da CIESP a professora explanou sobre "Habitação de Interesse Social: Formas de Fazer". Para saber mais confira o material disponível logo abaixo.

Leia a resenha da Palestra, clique aqui.

Audio

Baixa Qualidade (5 mb)

Faça o Download em MP3 (baixe o arquivo)

 

Alta Qualidade (96 mb)

Faça o Download em MP3 (baixe o arquivo)

 

Apresentação  

PDF (baixe o arquivo)

 

 

Fotos


 

Leia mais

São João discute “Habitação de Interesse Social” na Revisão do Plano Diretor

  • 12/08/2016
  • 2

IMG_9771IMG_9736

A arquiteta e professora Elisabete França esteve na noite de ontem, 11, no auditório da CIESP, explanou à população sanjoanense sobre “Habitação de Interesse Social: formas de fazer?”. A palestra fez parte do processo de Revisão do Plano Diretor e trouxe algumas colocações para que os cidadãos possam refletir.

A professora colocou exemplos e mostrou por meio da sua experiência que é possível ter conjuntos habitacionais que proporcionem qualidade de vida aos moradores e que disponibilizem de equipamentos públicos para eles.

Ela coloca que não é a concentração de pessoas de baixa renda que gera a criminalidade e sim o desenho arquitetônico e urbanístico desses conjuntos habitacionais de interesse social que proporciona maior ou menor qualidade de vida, além de opções em serviços e equipamentos públicos para atendimento da população.

Citou a relevância dos programas e intervenções sociais na garantia da qualidade de vida dos moradores destes núcleos e exemplificou o caso da atleta Rafaela Silva, medalha de ouro no judô das Olimpíadas 2016, que é moradora da Cidade de Deus e participa com outros 1.000 colegas de um programa de formação de atletas.  De acordo com ela, a existência de um programa como este pode ser decisivo na vida destes jovens.

Ela ressaltou também que apesar das verbas dos programas habitacionais virem com certas regras, é necessário que os municípios façam uma leitura e uma adequação desses projetos para transformá-los em habitações com maior qualidade de vida, disponibilizando aos moradores coisas essenciais. O programa “Minha Casa Minha Vida” é exemplo disso.

O áudio completo da palestra será disponibilizado em breve no site.

Elisabete França

Arquiteta (FAU-UFPR), mestre em Estruturas Ambientais Urbanas pela Universidade de São Paulo e doutora em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Em abril de 2015 assumiu a Diretoria de Planejamento da Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano do Estado de São Paulo (CDHU). Desde 2013 é sócia titular do Studio 2E Ideias Urbanas. Atualmente é professora no curso de Arquitetura e Urbanismo da Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP), no curso de especialização em Planejamento e Gestão de Cidades, do núcleo de estudos USP Cidades e, no curso de especialização em Habitação e Cidade, da Escola da Cidade. Entre 2005 e 2012 foi superintendente de habitação popular da Secretaria de Habitação da Cidade de São Paulo, onde coordenou a elaboração do Plano Municipal de Habitação e vários programas habitacionais, com destaque para Urbanização de Favelas, Recuperação Urbana e Ambiental nos Mananciais e Recuperação de Cortiços na região central da cidade.

 



Leia mais

“Habitação de Interesse Social” é tema da próxima palestra do Plano Diretor

  • 06/08/2016
  • 2

Evento acontece dia 11 às 19h00 na Ciesp

Acontece na quinta-feira, 11, às 19h00 no auditório da Ciesp a palestra “Habitação de Interesse Social: formas de fazer” com a arquiteta Elisabete França. O evento está no âmbito do processo de revisão do Plano Diretor e construção do Plano São João 2050, onde se tem discutido muito sobre locais e condições de moradia de baixa renda. A humanização dessas habitações, ou seja, com espaços de convivência, arborização e, qualidade de vida, é uma necessidade que vem sendo colocada por diversas entidades e pessoas que participam desse processo.
A arquiteta que vem para São João conversar com a população tem mais de 30 anos de experiência em projetos urbanos, ambientais e de gestão participativa na grande São Paulo. Um dos exemplos é a cidade Nova de Heliópolis, durante sua gestão na Secretaria de Habitação da Cidade de São Paulo, onde colocou moradores de baixa renda em edifícios bem projetados. Este projeto se tornou grande referência de habitação social de qualidade.

Elisabete França

Arquiteta (FAU-UFPR), mestre em Estruturas Ambientais Urbanas pela Universidade de São Paulo e doutora em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Em abril de 2015 assumiu a Diretoria de Planejamento da Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano do Estado de São Paulo (CDHU). Desde 2013 é sócia titular do Studio 2E Ideias Urbanas. Atualmente é professora no curso de Arquitetura e Urbanismo da Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP), no curso de especialização em Planejamento e Gestão de Cidades, do núcleo de estudos USP Cidades e, no curso de especialização em Habitação e Cidade, da Escola da Cidade. Entre 2005 e 2012 foi superintendente de habitação popular da Secretaria de Habitação da Cidade de São Paulo, onde coordenou a elaboração do Plano Municipal de Habitação e vários programas habitacionais, com destaque para Urbanização de Favelas, Recuperação Urbana e Ambiental nos Mananciais e Recuperação de Cortiços na região central da cidade.
O evento é aberto ao público em geral.

arte-palestra-hab-art_02

 



Leia mais

Grupo de São João visita Parque Tecnológico de São José dos Campos

  • 05/08/2016
  • 2

 

Uma equipe da Agência de Desenvolvimento, Assessoria de Planejamento e Gestão,Unifae Instituto Federal estiveram nesta semana em visita ao Parque Tecnológico de São José dos Campos. O objetivo foi conhecer e entender a estrutura do Parque para que o aprendizado sirva de auxílio na estruturação de ações para o desenvolvimento de um Polo Tecnológico em São João da Boa Vista. O grupo foi recebido por Elso Alberti Junior - Diretor Técnico e de Operações, Paulo Cesar Giarola - Coordenador do Cluster Aeroespacial e de Defesa e por Luiz Fernando Carvalho - Gestor de Empresas e Instituições que, inicialmente, fizeram uma explanação das atividades realizadas e instituições presentes no Parque e planos de futuro. Depois, o grupo visitou os prédios e instalações como a incubadora, espaço de cooworking, centros empresariais, laboratórios, instalações de universidades e centro de convivência.

O Parque Tecnológico de São José dos Campos foi criado em 2009 e vem passando por expansões contínuas com vistas a oferecer suporte completo ao crescimento das empresas instaladas e ao fortalecimento econômico da região, e para isso ,já investiu mais de R$ 1, 9 bilhão. Possui 25 milhões de m² e cerca de 6 mil pessoas transitam nele diariamente. São 60 empresas residentes; 10 instituições de ciência de tecnologia; 120 empresas associadas ao APL Aeroespacial – tendo a Embraer como como empresa âncora; 70 empresas associadas a APL TIC, – desenvolvedoras de softwares, hardwares e serviços de TI; 32 empresas incubadas e 30 microempresas nas Galerias do Empreendedor – que são centros comerciais que fomentam o empreendedorismo socioeconômico em bairros  mais afastados do centro da cidade.

Dentre as atividades explanadas ao grupo durante as quase quatro horas de visita foi dado especial destaque ao apoio oferecido às empresas instaladas, que vai desde o amadurecimento da ideia de negócio até o ponto em que a empresa está apta a sobreviver sozinha no mercado. As empresas podem percorrer todas as fases de apoio ou se instalar em qualquer das fases mais avançadas:

  • Fase de Pré-incubação: As ideias de negócio são analisadas e amadurecidas
  • Fase de Incubação: As empresas dispõem de infraestrutura e suporte técnico para atuação no mercado
  • Fase de instalação nos Centros empresariais: Empresas dispõem de infraestrutura, num condomínio empresarial com serviços e instalações completas

As empresas apoiadas pagam taxas em contrapartida ao suporte e infraestrutura oferecidos pelo Parque, ainda muito inferior aos custos das opções de mercado.Um dos principais resultados obtidos com o modelo de agrupamento de diversos tipos de instituições é a oportunidade de troca de experiências dentro da classe empresarial e entre ela e as universidades.

Analisar as experiências bem-sucedidas de uma das estruturas de tecnologia mais importantes do país faz parte de um plano de ações articulado entre o Poder Público, instituições de pesquisa e classe empresarial de São João.  Os aprendizados da visita contribuirão para definição dos caminhos para fortalecimento do Polo de Tecnologia, processo que será gerido pela Agência de Desenvolvimento. O Polo de Tecnologia é um dos eixos estruturadores do crescimento econômico da cidade definido no plano de longo prazo São João 2050.

Leia mais

PALESTRA - Habitação de Interesse Social: Formas de Fazer

  • 29/07/2016
  • 2

arte-palestra-hab-art_02

ONDE?
Av Dr. Oscar Pirajá Martins 870, sala do 1º andar do CIESP.

QUANDO?
11/08/2016 - 19hrs

 

Doutora pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Desde 2015, Diretoria de Planejamento da Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano do Estado de São Paulo (CDHU). Professora do curso de Arquitetura e Urbanismo da Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP).

Fez o curso de especialização em Planejamento e Gestão de Cidades, do núcleo de estudos USP Cidades. Entre 2005 e 2012 foi superintendente de habitação popular da Secretaria de Habitação da Cidade de São Paulo, onde coordenou a elaboração do Plano Municipal de Habitação e vários programas habitacionais, com destaque para Urbanização de Favelas, Recuperação Urbana e Ambiental nos Mananciais e Recuperação de Cortiços na região central da cidade.

Foi coordenadora (2004-2007) de projetos vinculados a financiamentos do Banco Mundial, Banco Interamericano de Desenvolvimento e UN-Habitat em vários países, com destaque para o México, El Salvador, Honduras e Timor Leste.

Entre 1993 e 2000, coordenou o Programa de Recuperação Urbana e Ambiental da bacia do Guarapiranga. Organizadora de diversas publicações, dentre elas a Série Novos Bairros de São Paulo.

Veja mais:

Leia mais